Casa de Criadores por Vitor Angelo


Vitor Angelo, editor de Famosos do Vírgula e responsável pelo Blogay da Folha de S. Paulo

Essa semana conversamos com o jornalista Vitor Angelo, que participou da seção GLS da revista da Folha, é editor de Famosos no Vírgula e também assina o blog da Folha.com, Blogay, no qual discorre sobre assuntos como noite, moda, arte, música e outros dos temas que circundam o universo gay. Vitor acompanha a Casa de Criadores desde suas primeiras edições e fala um pouco sobre a importância do evento no cenário da moda brasileira e alguns dos momentos que ficaram em sua memória nestas 28 edições do evento.


Fashion Mob de novembro de 2010, happening que é um braço da Casa de Criadores

Segundo o jornalista, maior contribuição do evento é poder mostrar para quem se interessa pelo assunto como funciona um evento de moda. Para assistir a um desfile da Casa de Criadores, você não precisa necessariamente ser um famoso, ter um amigo. É um acesso muito mais democrático, até mesmo pelos locais escolhidos para que os desfiles aconteçam. Outra característica que Vitor destaca é que a Casa reúne de maneira integrada, não apenas moda, mas também arte, exposições, música e a própria noite. É um espaço onde se pode acompanhar o surgimento de novos talentos e a evolução de alguns deles como Fábia Bercsek, João Pimenta e As Gêmeas, essa última que por outros motivos acabou fechando.


Pop Up Store da Casa de Criadores em 2009

A crítica de Vitor fica no número de estilistas que participam do evento – até para que o evento dure uma semana, mas que ele acredita ser muito grande. Na opinião dele, o evento deveria reunir poucos e bons. Outro ponto que ele destaca que talvez nem seja exatamente da responsabilidade do evento, é no apoio a estas marcas para torná-las comercialmente viáveis. E recorda a ideia da loja Pop Up da Casa de Criadores em 2009. Mas ele sente que mesmo a divulgação dos pontos de venda dos estilistas ainda está falha. Vitor cita o caso de Gustavo Silvestre, um estilista que apresentava coleções muito boas, mas simplesmente não se sabia onde adquirir as peças.


“Foi uma delícia acompanhar o amadurecimento de João Pimenta (foto) e As Gêmeas” conta Vítor

Vitor também destacou alguns dos momentos que aconteceram no evento e que ficaram impressos em sua memória: Uma das primeiras coleções de Fábia Bercsek (2000) na Casa de Criadores em que as modelos caiam uma a uma na passarela em alusão às Riot Girls. Os desfiles homenagem que Jum Nakao e Ronaldo Fraga prestaram um ao outro um exercício criativo de trocar de identidade e reler o trabalho do outro. E por fim, o primeiro desfile da V.ROM, que teve a trilha do DJ MauMau (1999), com um counter com números digitais, super eletrônico, moderno e atual em meados dos anos 90.


O primeiro desfile de Fábia Bercsek e a coleção “A Carta” de Ronaldo Fraga que homenageou Jum Nakao

Compartilhe: