Alex Kazuo faz bonito com alfaiataria de influências orientais e desenvolvimento têxtil – #fort

texto: Luigi Torre
fotos de backstage: Cassia Tabatini / FORT Magazine
fotos passarela: Marcelo Soubhia/FOTOSITE

Bastidores do desfile de Alex Kazuo || Créditos: Cassia Tabatini

Bastidores do desfile de Alex Kazuo || Créditos: Cassia Tabatini

O trabalho de Alex Kazuo é daqueles que transcendem a efemeridade da moda. Não liga para estações, tendências e não se descarta após alguns meses. Tem continuidade, é uma evolução de uma identidade em constante construção e aprimoramento. E isso é essencial para entender o que o estilista colocou na passarela na noite dessa quarta-feira (10). Toda em preto, como sua estreia na Casa de Criadores, na temporada passada, esta coleção se desenvolve a partir do trabalho de construção de alfaiataria com influências orientais e do desenvolvimento têxtil.

Bastidores do desfile de Alex Kazuo || Créditos: Cassia Tabatini

Bastidores do desfile de Alex Kazuo || Créditos: Cassia Tabatini

É que Alex trabalha principalmente com materiais de descarte e tecidos de fibra orgânica. Esta estação, por exemplo, nasceu do que sobrou da passada (ainda que não somente disso). Um bom exemplo é o vestido de minibabados com canutilhos, que levou semanas para ser feito manualmente. Suas peças, aliás, têm muito desse acabamento e cuidado artesanal. Elas podem parecer simples, mas trazem detalhes que fazem toda a diferença.

Bastidores do desfile de Alex Kazuo || Créditos: Cassia Tabatini

Bastidores do desfile de Alex Kazuo || Créditos: Cassia Tabatini

Compartilhe: