Segundo dia de desfiles termina com Weider Silveiro e suas construções, modelagens e silhuetas – #fort

“É inspirado numa mulher espanhola”, disse Weider Silveiro. Mas, assim, uma mulher específica ou uma mulher imaginária? “A dançarina do clipe de ‘La Isla Bonita’, da Madonna.” PAH! E não precisava de muito mais para entender que, nesta temporada, o estilista quis falar sobre tudo aquilo que mais gosta. A cantora, aqui, é só o pano de fundo. Weider gosta mesmo é de rua, da moda dos belgas e da de Balenciaga também (seu gato até foi batizado em homenagem ao couturier). Ah, e o fato de seu maior ídolo ser espanhol também diz muito sobre o que vimos na passarela.
IMG_7388

Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

texto: Luigi Torres
fotos de backstage: Cassia Tabatini / FORT Magazine
fotos passarela: Marcelo Soubhia/FOTOSITE

Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

A começar pelo trabalho de construção, pelas modelagens e silhuetas. Estes são tópicos que vêm ganhando a atenção do estilista, desde a coleção passada. Se lá eles ficavam meio escondidos, aqui assumem posto de protagonista. É só reparar no modo como ele corta camisas, como acintura calças e saias, como desloca os ombros das jaquetas e como dá volume aos vestidos. Tudo meio oversized e ajustado ao mesmo tempo. Ah, e com jeans feitos 100% em esquema de upcycling.

Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

É tendência quente do momento? É sim. E já que falamos nisso, há sempre quem aponte influência do fenômeno Vetements, mas quem acompanha Weider há tempos sabe bem que seu ponto de referência é outro – e o mesmo de Demna Gvasalia: Martin Margiela. Ainda assim, o estilista é experiente o suficiente para imprimir cara própria a tudo que faz. Primeiro, vem a latinidade dos babados, das formas que acentuam as curvas do corpo. Depois, os detalhes fetichistas, com as amarrações e ajustes por tiras e laços. E, por último, a camisaria, elemento recorrente em todas suas coleções e que nesta atinge um de seus melhores e mais desejáveis momentos.
Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

Bastidores do desfile de Weider Silveiro || Créditos: Cassia Tabatini

Compartilhe: