Um papo sobre moda e música com Letrux, o nome da vez da música popular brasileira

O nome que está no radar das turmas mais descoladas entre o eixo Rio-SP é Letrux, personalidade artística de Letícia Novaes. Ela desbancou Chico Buarque ao levar, em outubro, o prêmio de Disco do Ano pelo Júri no Prêmio Multishow 2017 com o álbum “Letrux em Noite de Climão”, e segue arrebatando corações com shows intimistas da turnê do CD, lançado em julho pela gravadora Joia Moderna, de Zé Pedro. Antes de se tornar Letrux, Letícia fazia parte de uma banda chamada Letuce, que formou com o ex-marido, o músico Lucas Vasconcellos. E o que há por trás da persona de Letrux, com forte presença de palco, de seu figurino e de suas batidas, desvendamos na entrevista abaixo.

Letícia Novaes/Letrux em show de divulgação do álbum “Letrux em Noite de Climão”|| Créditos: Reprodução Instagram

Casa de Criadores: Carreira internacional faz parte dos seus planos?
Letrux: “Sim, tenho curiosidade de explorar outros países com esse disco. Já fiz show em Portugal com o Letuce e foi muito divertido. E com o Lucas [Vasconcellos], viajamos para Paris e Londres e fizemos shows intimistas, mas é sempre curioso estar num lugar onde ninguém te conhece e lidar com aquela sensação inédita, gosto disso.”

Casa de Criadores: Como você define seu público?
Letrux: “É variado, felizmente. Claro que sim, temos muitos jovens LGBTQI, mas tem muita galera mais velha que curte também, assim como crianças. Recebo toda semana um vídeo de uma criança dançando ‘Climão’, é muito engraçado ver os bebezinhos lá mexendo os bracinhos ao som de ‘Flerte revival’, por exemplo.”

Casa de Criadores: Qual a relação que você espera que as pessoas tenham com a sua música?
Letrux: “Primeiramente de baixar a guarda. Pelo excesso de feitura de músicas, sinto que as pessoas já ouvem tudo prontas para julgar. E não é só uma pessoa que me diz que teve que me dar uma segunda chance.” (Risos) “Várias. E tudo bem, fico feliz, porque sinto que baixaram a guarda, foram reouvir. Não dá pra ouvir uma coisa uma vez e engavetar de cara. Depois espero que se divirtam, e que chorem um pouquinho também.”

Casa de Criadores: Seu som já foi comparado ao de Marina Lima. Como vê essa comparação?
Letrux: “Amo Marina [Lima], sou muito admiradora do trabalho dela, da sua obra, da sua importância na música brasileira, mas não sei se meu som parece com o dela. Acho que as pessoas às vezes precisam disso, de comparar ou associar nomes, mas tudo bem, pois ser comparada a ela, de quem sou fã, tudo bem!”

Letícia Novaes/Letrux em show de divulgação do álbum “Letrux em Noite de Climão”|| Créditos: Reprodução Instagram

Casa de Criadores: Pode dividir conosco algum novo projeto?
Letrux: “Minha cabeça não para, pretendo ano que vem lançar meu segundo livro de poesia, chama ‘Tudo que eu já nadei’, e tô quase finalizando.”

Casa de Criadores: O que mudou depois que você ganhou o prêmio de disco do ano pelo Multishow?
Letrux: “Nada concretamente. Continuo morando de aluguel na Tijuca, mas certamente meu público aumentou, percebo pelas redes sociais e também estive com alguns fãs depois do show no Circo Voador e em BH, e alguns diziam “Te conheci no prêmio Multishow”, o que é muito bacana e ajuda a música independente a seguir firme.”

Casa de Criadores: Como é feita a escolha dos looks que você usa em shows, clipes e aparições sociais?
Letrux:“Não era muito ligada nisso, por mil motivos, usava umas coisas minhas, outras de brechó, mas agora com ‘Climão’ adquiri mais vaidade. Quem fez o figurino do show foi André von Schimonsky, muito talentoso. O Rogério S também me ajudou lindamente a ir para o prêmio Multishow e ainda me ajudou com figurino para o Circo Voador, ambos muito talentosos.”

Casa de Criadores: Você gosta de moda?
Letrux: “Como disse, é algo mais recente na minha vida, passei a juventude toda querendo ser do contra, usando umas roupas do avesso, não me importando com isso, ou então levando tudo ao exagero máximo, 3 colares ao mesmo tempo, brincos gigantes, pulseiras, uma loucura. Mas hoje em dia tenho outra percepção, algo me despertou, tenho tara em vestidos longos bonitos, macacão, que são peças que combinam mais com meu biotipo, que sou muito alta – tenho 1.85 m. Short jeans curto não dá pra mim, pode ficar lindo nas gatinhas carioca, mas em mim, gente, fica bem ruim. Acho que gostar de moda é também gostar do seu corpo, saber o que combina, o que acende, o que harmoniza bem.”

Casa de Criadores: O que curte usar? 
Letrux: “Eu estou numa fase mais minimalista. Um vestido inteiro de uma cor só, um corte bonito, decote nas costas. Amo. Aí ou coloco um batom vermelho ou um lápis preto pra trazer uma corzinha. No dia a dia sou a mais natural possível. Se tenho que ir na esquina, coloco um vestidão largo, e vou até sem calcinha e sem sutiã ao banco, por exemplo. Mas numa festa, gosto desse clima vestido, macacão ou uma saia longa também. Calça também amo. E tô nessa fase, menos floral, menos estampa. Ainda uso, mas tô cada vez menos. Quero só uma cor só.”

Letícia Novaes/Letrux em show de divulgação do álbum “Letrux em Noite de Climão”|| Créditos: Reprodução Instagram

 

Compartilhe: