#orgulho… A origem do termo veado é a coisa mais divertida que você vai ler hoje na Internet

Se tem uma coisa que os gays fazem como poucas as tribos é se apropriar de termos pejorativos inventados por heteros para denegrir sua imagem. A começar pela palavra gay, que é de origem inglesa e vem do verbete francês “gai” que, ao que consta, teria vindo de uma palavra alemã para designar alguém “alegre”. Por volta do século 17, gay começou a ser sinônimo de imoralidade, tipo viciado em prazeres e diversão. Só no começo do século 20 que se fixou como termo para falar de homem que gosta de homem. Logo os gays adotaram ao termo e tudo “engayzou” de vez…

Mas há outros tantos termos, a exemplo de um bem brasileiro: o mona, que há quem diga que vem de Mona Lisa, de Da Vince, mas também há quem diga que vem do fato de que mona significa mulher, então serviria para uso deliberado das gays mais femininas.

Bicha teria sua origem na tentativa de zuar pesado os gays porque seu significado remonta a lombriga, sanguessuga e verme, seres de formato comprido. Ah, e tem ligação com uma fileira mais ou menos extensa de pessoas situadas umas atrás das outras. Hummm…

Mas nenhum deles ganha de originalidade do termo veado, que vem da própria natureza maluquete dos bichos. Vamos lá: a veada entra no cio e passa a atrair os boys (machos). E muitos se candidatam ao posto de marido. Sendo de natureza fiel, a fêmea mantem relações com apenas um dos concorrentes e leva a melhor o bofe mais forte do pedaço. Depois de muita briga, o mais poderosos dos veados fica com a veadinha. Mas durante essas refregas, a produção de esperma dos machos se intensifica e eles acabam perdendo até 15% de seu peso.

Daí, o vencedor chega na veada e eles mantêm um longo coito. Detalhe: os perdedores assistem a tudo de perto e quando o macho vencedor se desprende da veada, eles, um a um, formando uma fileira desorganizada, curam seu ressentimento montando-se uns às costas dos outros, um penetrando o outro. A ideia da natureza, toda sabia, é que os machos que perderam também se aliviem e sigam sua vida.

Agora o mais inusitado de tudo: depois de todo o ritual, é comum que alguns veados perdedores passem a demonstrar afeição entre si. E há aqueles que passam a acompanhar o casal vencedor até o nascimento do veadinho, mas sempre com uma quedinha especial pelo boy da casa. Tem até o veado que começa a fazer parte da família, inclusive participando de outras brigas mas decidindo sempre perder. Quer dizer…

Babado, confusão, tolerância e muito sexo / Foto: Reprodução

 

Compartilhe: