Artesãos japoneses, vinil & arte, Woody Allen na Mario de Andrade e mais no nosso roteirão

A sério: nada derruba a arte e nada põe fim nas festinhas que servem pra sair do sério. Então, cola no nosso roteiro da semana. Sem muitas delongas: tome nota…

A gente é fã da Japan House e o chamado é para o dia 23, esta terça-feira, quando acontece a abertura da exposição “Japão 47 Artesãos”, das 10h às 20. Grátis, só chegar. Combinando design, artesanato, contemporaneidade e tradição, a Japan House arma esta exposição que fica em cartaz até 17 de julho, com curadoria do designer japonês Kenmei Nagaoka, do D&Department Projetc. O segundo andar do centro cultural é o cenário para descobertas resultantes de um Japão contemporâneo, que jamais abandona suas tradições, a ser revelado em suas características, habilidades e sensibilidades, por meio de peças feitas por artesãos das 47 províncias que compõem o Japão.

Conhece o projeto CineMario? Dia 24, quarta, tem a versão Manhattan, na qual a Biblioteca Mário de Andrade exibe das 19h às 21h o filme “Manhattan”, de 1979, dirigido por Woody Allen. Todas as quarta-feiras, às 19h, a biblioteca exibirá um filme e a cada mês eles selecionam uma grande metrópole para ser homenageada. A biblioteca fica na Rua da Consolação, 94, e o filme trata de Isaac Davis, um roteirista de TV frustrado que está passando por uma crise de meia idade depois que sua terceira esposa o deixa por outra mulher. Então, ele namora uma colegial e sabe que a jovem não é a mulher certa para ele… Aquela coisa Woody Allen, sabe?! Retirada de ingresso 1h antes. Grátis.

Passamos pra sexta-feira, dia 26, com o Lado B: O Disco de Vinil na Arte Contemporânea Brasileira, que rola às 20h. Mas tem também no sábado (10h) e do domingo (10h) no Sesc Belenzinho. Pra galera da ZL curtir numa boa. “Com curadoria de Chico Dub e coordenação geral de Luiza Mello, a exposição coletiva reúne 61 obras de mais de 30 artistas visuais e sonoros do país, mostrando toda uma ampla gama de usos do disco de vinil enquanto material estético de intervenção sonora, física, conceitual, ritualística e poética – em muitos casos ressignificando as formas e funções originais dos long plays e objetos de seu universo. A exposição ainda traz instalações sonoras e interativas, pinturas, esculturas, discos conceituais, vídeos, fotografias, manipulações sônicas e objetos-instrumentos que abordam todas essas questões”, diz o convite. Grátis, uhu!

Sábado promete muitas atrações em São Paulo e abaixo temos algumas delas, a começar pelo Cineclube Salada de Cinema, na Galeria Matilha Cultural, que exibirá “Lucia Voltou a Fumar”. A sinopse do curta? “Foram dois anos sem fumar, e agora talvez ela passe uma vida inteira fumando”. Eita porra… O filme tem duração de 23 minutos, então aproveita que estará na Matilha, na rua Rêgo Freitas, e curta a festa do blog “Desculpe, Não Ouvi”, que completa 10 anos com uma vivência com informação, diversão e celebração da audição e tecnologias auditivas. Abertura com Jairo Marques, jornalista da Folha de São Paulo, exposição #HistóriasQueOuvi! com fotos e histórias do blog, Stands de tecnologias auditivas, palestras de especialistas, pais e usuários com legenda ao vivo e intérprete de Libras e mais. Inscreva-se pelo site.

Exposição de duração de um dia, “Represa do Pacaembu” acontece no sábado na Casa Alagada, na Rua Gustavo Teixeira, 230, das 14h às 21h. “Os artistas da Casa Alagada recebem Alexandre Brandão, Dora Smék, Friedrich Jqm Engl, Gui Pondé, Janina McQuoid, João GG, Leandro Muniz, Marcel Darienzo, Paul Setúbal, Rodrigo Arruda, Simon Fernandes e Yasmin Guimarães para uma exposição no espaço. Inauguração oficial da ‘Represa do Pacaembu’ é uma exposição que celebra o encontro entre os artistas e o público através de esculturas, instalações, vídeos, pinturas e performances adaptadas para o contexto da Casa Alagada – um casarão onde, além da moradia de alguns artistas, designers e outros agentes do meio cultural, funciona uma série de ateliês e uma programação de oficinas e eventos”, diz o convite. Entrada gratuita.

A fim de representatividade? No sábado tem “Trans, travestis: corpos e vidas” no Centro de Cidadania LGBTI Luiz Carlos Ruas, organizado por Cine Sapatão. Das 15h às 18h, na rua Visconde de Ouro Preto, número 118, Consolação. “Propomos uma seleção de filmes que retrata aspectos de vidas de pessoas trans e travestis – não apenas lésbicas, mas também heteros, gays, bis e +. Questões como amor próprio, autoestima, respeito, negritude, relações familiares, trabalho e desigualdade econômica atravessam tanto os documentários quanto a obra de ficção ‘Primavera de Fernanda’. Os filmes exibidos nos convidam a refletir sobre os significados e as representações sociais dos corpos, bem como sobre a vida das pessoas diante desses significados e representações. Com realismo, mas sem fatalismo, ficamos diante de pessoas que experimentam obstáculos imensos, mas que não se esquecem do seu próprio desejo e se erguem na busca de autocuidado e justiça”, diz o release. Além desse filme, outros como “Megg” (Dir. Larissa Nepomuceno Moreira e Eduardo Sanches, 15′, 2018), “Preciso dizer que te amo” (Dir. Ariel Nobre, 13′, 2018), “Homem trans” (Dir. Alexandre Mattos, 15′, 2015), “Mulher trans e travesti: protagonismo silenciado” (Dir. Danielle Braga, 18′, 2018) e mais. A partir das 15h, grátis.

O Coral Jovem do Estado se apresenta no sábado no auditório do Masp, às 16h. Ingressos a R$ 20. O coral comemora 40 anos e estreia a temporada de concertos no mês de abril com o programa “Sagrado”. “Sob regência de Tiago Pinheiro de Souza e preparação vocal de Marilia Vargas, o grupo cantará obras de Purcell, Brahms, Fauré, Verdi, Stravinsky e a estreia mundial de uma peça do compositor e pianista brasileiro André Mehmari – Oficial. O concerto no auditório do Masp será realizado às 16h”, diz o convite. Ah, e serão realizadas outras duas apresentações: na Catedral Anglicana de São Paulo, no dia 28, às 16h, e na Sala São Paulo, no dia 12 de maio, às 11h. Pode crer: é muito lindo!

E pra fechar a semana, no domingão, rola Pratododia na Casa das Caldeiras, organizado por Boteco Pratododia. Das 15h às 23h, na Rua Barra Funda, 34. Grátis. Celebrando o dia do disco de vinil no Brasil, Carla aka DJ Carlu, DJ Julião Pimenta, Iasmin, Lih Lima, DJ Cláudio Costa, e DJ Vivian Marques. Uma hora de pista especial para as crianças de todas as idades. Abrindo o baile lá em cima rola uma seleção só com músicas infantis em vinil, comandada pela Carla aka DJ Carlu! E a bagunça continua lá embaixo com a pirâmide e instrumentos da galera do Parque de Bambu até às 20h. Lá fora tem Edson Carvalho, Odara Kadiegi, DJ Ju Mineira, Rafa Jazz e NGS – Casal Brasilis, além de Bazar das Minas.

Compartilhe: