Arquitetura, feminismo e ética na moda de Heloisa Strobel da Reptilia

Heloisa Strobel é arquiteta e criou a Reptilia em 2012. “É uma marca autoral onde criamos, desenvolvemos e confeccionamos todas as nossas coleções a partir de mão de obra ética, preceitos sustentáveis e conceitos horizontalizados. Utilizando somente matéria-prima brasileira de fornecedores certificados, abrimos nossos processos criativos no espaço da loja-atelier em Curitiba, onde o público pode presenciar e se envolver afetivamente com sua próxima peça”, conta a estilista, que corre contra o tempo para apresentar sua coleção de estreia na Casa de Criadores, em julho.

Arquitetura e moda
Nossas criações são minimalistas para dar espaço aos tecidos e aos caimentos, onde os materiais são personagens principais, entre formas arquitetônicas e detalhes bem pensados. Versatilidade e inovação caminham lado a lado em nosso modus operandi”, explica. A marca pode ser encontrada na loja-atelier da marca em Curitiba (na Alameda Prudente de Moraes, 1282) e em São Paulo na Casa Diária, em Pinheiros (na Artur de Azevedo, 1315). “Nesta coleção, a Lunelli Têxtil patrocina a marca com malhas leves e de belos caimentos, com bases em viscose. A Vicunha entra com tecidos planos com toques inovadores, e a Melissa estará nos calçados cool que complementam qualquer look”.

Por dentro do desfile
A stylist será Yumi Kurita e a trilha sonora será do produtor musical Rodrigo Lemos, que irá compor uma trilha original para o desfile. A beleza está sendo definida e Heloisa diz que conta assim que estiver confirmada. “Nunca te esqueças que eu venho dos trópicos”: a emblemática vida da surrealista Maria Martins foi o ponto de partida da coleção de estreia da Reptilia na Casa de Criadores. Na passarela, uma estética de historiadora urbana, explorando e questionando o passado e a forma como o espelhamos no presente e para o futuro.

A artista mineira Maria Martins foi a primeira surrealista brasileira e uma mulher à frente de seu tempo. Na primeira metade do século 20, traduzia para suas esculturas, ensaios e pinturas questionamentos sobre raça, nacionalidade, religião e condições sociais, além de defender que a arte seria uma ferramenta de mobilização para combater as guerras do período. “Hoje se faz essencial falar sobre Maria Martins, reverenciar sua obra e sua história. Maria levou para o mundo uma visão do que é Brasil, a partir de uma estética traçada por ela mesma”, conta Heloisa.

A coleção tem estética atemporal e o sport chic já reconhecido da marca, unindo a silhueta e a versatilidade da mulher contemporânea com alfaiataria tradicional. Formas e referências geométricas e arquitetônicas, mescladas com cores contrastantes e cortadas em tecidos nacionais. A cartela de cores navega por tons leves como o lilás, o cru e o caramelo, mas ganha um momento soturno com um bloco inteiro em preto representando os momentos mais “escuros” de cada história.

Reptilia no mundo
A marca desfilou a coleção “Às Mulheres Extraordinárias” em outubro de 2018 na South Africa Fashion Week, representando o Brasil a convite do Ministério da Cultura e da UNESCO. Ganhou também o Prêmio ODS – objetivos do desenvolvimento sustentável – oferecido pelo SESI com a chancela da ONU, no mesmo ano.

Siga a marca no Instagram!

Paleta da cores da coleção de estreia de Heloisa Strobel na Casa de Criadores / Foto: Divulgaçã

 

Compartilhe: