Re-roupa, que estreia na Casa de Criadores, é roupa feita de roupa e outros trabalhos manuais

“O Re-roupa é um laboratório de produção de roupas e ideias que preza pelo ambiente criativo e criação de cultura com a finalidade de intervir na lógica do sistema produtivo da moda. O que é considerado lixo para muitos na indústria da moda é a nossa matéria-prima. O caminho para a materialização das peças é, muitas vezes, através de atividades coletivas realizadas em oficinas de criação em diversos lugares”, diz Gabriela Mazepa, criadora do projeto, que desde 2006, quando se formou em Arte, segue trabalhando o conceito como marca de roupas, com peças à venda no espaço físico do Re-Roupa no centro de São Paulo, além de loja online e na multimarca Supergrama, em Pinheiros.

Para a estreia 45ª edição da Casa de Criadores, em julho, a marca traz à passarela o conceito que orienta o Re-roupa desde o início: roupa feita de roupa e outros trabalhos manuais. “O projeto é inspirado em experiências próprias. O que a moda recentemente chamou de Upcycling corresponde a um processo de criação muito antigo. Ressignificar-se é parte da própria condição humana. Todo processo manual será homenageado. No desfile, nos interessa a memória afetiva das roupas e o impulso criativo que fomentam esses processos”, segue a estilista.

Como parceria, a Re-roupa usa retalhos e fins de rolo da Focus Têxtil e alguns tecidos sugeridos pela Vicunha Têxtil (que fazem parte da linha eco da marca). “Entretanto, a maior parte de nossa matéria-prima é oriunda de roupas e tecidos garimpados, de segunda mão, e peças de nosso acervo, resignificadas”, finaliza Gabriela Mazepa, que tem ao seu lado Lariana Moreno na produção executiva do desfile, Yumi Kurita como stylist, Helder Rodrigues cuidando da beleza, tipografia da Rohch, trilha sonora da Nasca e audio visual da Marketing Luther King. Siga a Re-roupa no Instagram!

Gabriela Mazepa, criadora da Re-roupa / Foto: Divulgação

 

Compartilhe: