Movimento e energia conduzem a coleção da Not Equal

Fábio Costa, o estilista da Not Equal, quis falar sobre energias. Para isso, buscou inspiração em dois tipos delas: a dos parangolés e a do Butoh, uma dança japonesa. O que elas têm em comum? Que a energia é gerada sempre a partir de um movimento. Nesta coleção, ele quis que o movimento fosse perceptível mesmo quando estático. Para dar essa impressão, usou moulage e uma alfaiataria retilínea, mas desconstruída.

Os vestidos-coluna ganham aplicações de dobraduras enquanto as blusas têm drapeados e toques japonistas. Os tecidos puídos, como malhas que são desgastadas até virarem redes finas, e o tressê de fitas que cria uma estampa geométrica contam também sobre essa ação do tempo nas peças e na vida. As estampas foram feitas em colaboração com o artista Luciano Ferreira, especialista em colagens, depois foram escaneadas e aplicadas em vestidos assimétricos e camisões masculinos.

 

– 

A jornalista Giuliana Mesquita foi convidada para escrever sobre todos os desfiles da 45ª Casa de Criadores. Sua opinião não reflete necessariamente o pensamento do evento.

Compartilhe: