Relação entre pai e filho é o ponto de partida de Jorge Feitosa nessa temporada

As formas amplas de Jorge Feitosa ganham uma cara diferente nessa edição da Casa de Criadores. Isso porque essa coleção foi inspirada em seu pai e carrega um peso emocional que as últimas do estilista. “Peguei um retrato do meu pai bem tradicional do Nordeste e usei várias referências do que ele gostava nas minhas estampas”, conta o pernambucano.

O desfile foi dividido em quatro blocos de cor: branco, rosé, azul marinho e preto. O branco e o preto falam dos contrastes de uma personalidade plural, que não é só boa nem só ruim, e sobre a imagem que tinha de seu pai. Os tons de rosa e azul remetem à relação que eles tinham, um pouco conturbada. “Meu pai amava andar de bicicleta, era poeta, jogava damas e era muito místico”, lembra, elencando várias de suas preferências e gostos. “Mas acho que ele nunca me entendeu ou nunca nem tentou”.

Formas amplas e patchwork, marcas do DNA de Jorge, aparecem em abrigos, casacos com franjas, camisas com gola-laço, saias de renda e moletons de zíper.

– 

A jornalista Giuliana Mesquita foi convidada para escrever sobre todos os desfiles da 45ª Casa de Criadores. Sua opinião não reflete necessariamente o pensamento do evento.

Compartilhe: